Ajudando sua filha ou filho a entender o impacto de ser espectador de bullying

 

Ajudando sua filha ou filho a entender o impacto de ser espectador de bullying

O bullying não afeta apenas aqueles que estão diretamente envolvidos. Talvez sua filha ou filho não esteja agredindo ninguém, mas com certeza eles já foram um espectador: alguém que não fez nada, mesmo quando viu outra pessoa sendo provocada ou agredida. Eles podem achar que estão fazendo a coisa certa ao não falar nada e é exatamente por isso que é importante ensiná-los que, ao confrontar o autor do bullying, ao invés de simplesmente ser um espectador, eles podem ajudar a evitar que esse tipo de comportamento prejudicial ocorra.

Em muitos casos, espectadores são pessoas que 'estão permitindo' que o bullying aconteça. Seu comportamento pode tomar as seguintes formas:
• Também provocar, caçoar ou dar risada das pessoas envolvidas em um incidente, mesmo quando sabem que é errado fazer isso
• Não tomar partido nem fazer nada quando presenciam a ocorrência de bullying
• Ignorar a vítima durante ou após o ocorrido, além de não lhe oferecer apoio
• Não pedir ajudar a um professor ou adulto quando necessário

Por que algumas pessoas se tornam espectadoras de bullying?  

Espectadores podem ter medo de se tornar o próximo alvo de provocação. Se estão tirando sarro de alguém por causa de sua aparência física, isso pode fazer com que sua filha ou filho tenha medo de fazer alguma coisa contra esse tipo de comportamento, pois, caso o faça, ela(e) também pode virar motivo de provocação.

Além disso, algumas pessoas não fazem nada por não saber qual seria a melhor maneira de lidar com o problema. Explique para seu filho ou filha que mesmo ser apenas espectador de bullying pode fazer com que eles próprios se tornem vítimas indiretas da agressão. Espectadores estão se deixando intimidar pelo autor do bullying. Porém, se sua filha ou filho desenvolver a auto-confiança necessária para combater o comportamento de bullying, ela(e) notará que o autor provavelmente recuará e que outras pessoas que até então também não estavam fazendo nada juntar-se-ão a ela(e) para confrontá-lo.

Maneiras de se acabar com o bullying quando se é apenas um espectador

Ajude sua filha ou filho a compreender que eles podem parar o bullying ou mesmo evitar que este aconteça. Ajude-os a entender que suas atitudes podem fazer a diferença. Confrontar um provocador não será nada fácil, então não faça pouco caso. Ir além do papel de espectador pode ser muito difícil e requer muita coragem e auto-estima.

"Presenciar um caso de bullying fará com que seu filho ou filha se sinta desconfortável e inseguro(a)," diz a Dra. Nancy Etcoff, professora clínica assistente da Universidade de Harvard. "Peça para que eles reflitam: será que um amigo de verdade faria isso com você?"

Existe mais de uma maneira de acabar com o bullying

Converse com seus filhos sobre as várias maneiras que eles podem agir para interromper casos de bullying. "Às vezes é possível agir imediatamente, mas isso requer muita coragem," diz a Dra. Nancy Etcoff. "Porém, é possível também intervir após o ocorrido, falando diretamente com o autor do bullying ou com a vítima. Também é válido conversar com pais e professores sobre o que se presenciou."

Para um adolescente, a mensagem de que eles podem influenciar e até mesmo melhorar a situação é muito empoderadora. Isso pode ajudá-los a desenvolverem sua auto-confiança, além de ser uma importante lição de vida. 

Próximos passos

  • Converse com seus filhos sobre o que eles deveriam ou poderiam fazer se soubessem que estão ocorrendo casos de bullying ou provocação dentro do seu círculo de amizades. Se eles não estiverem diretamente involvidos, seu instinto pode ser de simplesmente não fazer nada. Explique para eles a importância de ser assertiva quando eles souberem que o que está acontecendo não é 'certo'
  • Fale com eles sobre bullying relacionado a aparência e o que pemite que ele ocorra
  • Explique para eles que quem comete bullying é covarde e é por isso que enfrentá-los muitas vezes dá certo. Se uma vítima não consegue se defender, alguém que está preparado para correr esse risco pode fazer toda a diferença em uma situação de bullying
  • Deixe claro para sua filha ou filho que, por mais que pareça 'inofensivo' tirar sarro de alguém, se isso acontece frequentemente, pode ser considerado como bullying. Ser alvo constante de piadas feitas pela família ou por amigos pode ser muito prejudicial e ter o mesmo impacto na autoestima de uma pessoa que o bullying propriamente dito tem.
  • Se você tem uma filha, leia nosso artigo Meninas que praticam bullying: entendendo os diferentes tipos de bullying para saber mais sobre a dinâmica do bullying que involve meninas e como você pode proteger sua própria filha.