Skip to content

A percepção de beleza dos seus filhos está distorcida por influência dos media?

A percepção de beleza dos seus filhos está distorcida por influência dos media?

Imagens de pessoas nos media são de tal maneira manipuladas hoje em dia, que pode parecer que a beleza é cada vez menos atingível. Ajude os seus filhos a resistir à influência dos media e a ver a realidade.

A influência dos media nos adolescents

Está preocupado que as expectativas dos seus filhos em relação à aparência sejam irrealistas? Não é de admirar. Um estudo da Psychology Today, Anúncios em todo o lado: A Corrida para Chegar ao seu Cérebro estima que os jovens de hoje são bombardeados com 5.000 mensagens publicitárias por dia. Não apenas através da televisão e revistas mas também websites, blogs, redes sociais, vídeos de música, filmes, e até telemóveis.

A forma como as pessoas são representadas nestes anúncios - tanto as palavras como as imagens - tem um grande impacto na maneira como os seus filhos se vêem a si próprios e no que aspiram ser.

A ligação entre imagens de mulheres nos media e a baixa auto-estima

O constante reforço da mulher "perfeita" nos media tem um impacto direto na confiança das rapariga em relação ao seu corpo. Um estudo da Imagem Corporal (Body Image) concluiu que ler uma revista durante apenas 60 minutos baixa a auto-estima de mais de 80% das raparigas.

Num estudo publicado no Girlguiding, 2016 Girl's Attitudes Survey, 61% das raparigas disse que a representação das mulheres como "objeto sexual" as faz sentir fragilizadas. E quase metade das jovens que participaram no inquérito Pretty as a Picture pelo tink tank Credos no Reino Unido, concordaram com a frase "ver anúncios com modelos magras faz-me sentir mais consciente da minha aparência e querer fazer dieta/perder peso.

Como a manipulação de imagens muda a nossa percepção de beleza

A maioria das imagens fotográficas de mulheres que vemos nos media são não só resultado de maquilhagem e luz estratégica em sessões fotográficas, mas também de manipulação digital, conhecida como retoque, antes de serem publicadas. As fotografias são processadas de tal maneira, que nem a mulher representada nas imagens é parecida com o que é na vida real. Junte-se isto com títulos que criticam a mulher "real", que não está de acordo com esta imagem irrealista e exacerbada, e é fácil perceber porque é que as raparigas aspiram atingir esses padrões, que são uma fantasia.

Clara, mãe de Alice de 14 anos, diz, "A minha filha está constantemente a ler revistas para adolescentes e as raparigas que eles usam parecem sempre não ter falhas. Como é suposto eu apoiá-la em relação à sua aparência quando tem de se comparar àquilo?"

Imagem corporal e os media - queremos ser parecidos com nós próprios

No estudo Pretty as a Picture, a Credos perguntou a jovens mulheres para compararem 4 imagens diferentes da mesma modelo, modificadas digitalmente para mudar a sua forma. A maioria (76%) preferiu as mais naturais e as levemente retocadas às demasiado retocadas. O Relatório Global de Beleza e Confiança de 2016 de Dove concluiu que 7 em cada 10 (69%) mulheres e 6 em cada 10 (65%) raparigas acreditam que os media e a publicidade estipulam um standard de beleza irrealista, que a maioria das mulheres nunca conseguirá atingir.

Ao aperceberem-se de que as imagens que aparecem nos media são frequentemente manipuladas, e raramente representativas da realidade, os seus filhos poderão começar a "ver para além" dos media, e a proteger a sua confiança em relação ao corpo ao verem fotografias de celebridades e modelos. Ajude-os a perceber que não vale a pena compararem a sua aparência às imagens falsas e irrealistas que vêem nos media.

Utilize a nossa lista de ações e atividades divertidas para iniciar uma conversa sobre a percepção dos seus filhos da sua própria aparência.

Para proteger a privacidade alterámos os nomes das pessoas destas histórias, mas elas são genuínas.

  • 1

    Veja os media com um olhar crítico

     

    Ajude os seus filhos a ver o que está sob a superfície dos media que consomem. Modele o olhar crítico que quer que os seus filhos tenham, e juntos, pensem em razões pelas quais não vale a pena compararem-se com "ideais" impossíveis.

  • 2

    Use o humor para ganhar de volta o controle

    Veja os programas de televisão  e as revistas preferidas dos seus filhos e fale sobre as imagens que parecem particularmente irrealistas ou que definem de forma limitativa a beleza. Riam-se daquelas que parecem mesmo falsas ou que passam mensagens demasiado críticas sobre a aparência de alguém.

  • 3

    Lembre-se que retocar não é só esconder manchas

    É bom lembrar-se a si próprio, e a eles, que não são só as manchas que são retocadas. Pernas são alongadas, seios são ampliados, corpos são trocados e maçãs do rosto melhoradas - por vezes, as mudanças são tantas que nem reconheceria a modelo na vida real.

  • 4

    Entenda a manipulação de imagem

    Descubra o quão os seus filhos sabem sobre manipulação de imagem, perguntando-lhes quem mais esteve envolvido na criação de determinada imagem, desde estilistas e maquilhadores a fotógrafos. Eles já viram o vídeo Evolution?

  • 6

    Utilize exemplos positivos

    Procure fontes de media positivas para partilhar com os seus filhos, que se foquem nos pontos fortes e habilidades das mulheres, e não só na sua aparência    

  • 7

    Tente a experiência de imagem corporal da Credos

    Mostre-lhes quatro imagens da mesma modelo do relatório Pretty as a Picture da Credos (vá até à página 12 e 13) e pergunte-lhes o que gostam ou não em cada uma. Que palavras usaria para descrever cada imagem?

Próximos passos

  • Continue a conversar com os seus filhos sobre as percepções de beleza. Não pode proibi-los de gostarem de televisão, revistas e blogs, mas pode revisitar este tema de vez em quando.
  • Incentive os seus filhos a abordar o tema com os amigos ou num projeto para a escola.
  • Sugira que escrevam para o editor da sua revista preferida ou website a perguntar como manipulam as imagens das mulheres nas suas páginas.