Confiança corporal positiva - como as mídias sociais podem afetar a imagem corporal

 

 

Confiança corporal positiva -  como as mídias sociais podem afetar a imagem corporal

No deslumbrante mundo das mídias sociais, os jovens de hoje frequentemente vivem suas vidas de maneira completamente pública, de frente para uma platéia da internet. Para aqueles que são de outra geração, a vontade de 'fazer check in' ou de compartilhar uma selfie para mostrar aos outros onde você está e o que está fazendo pode parecer muito estranha. Porém, para os adolescentes de hoje, receber 'curtidas' em suas fotos, postagens ou comentários no mundo virtual pode desencadear um poderoso sentimento de realização e aceitação por parte da comunidade.

Mas será que essa constante busca por validação pode dar origem a pensamentos negativos sobre imagem corporal? Será que comparações sem fim com as fotos postadas na internet por outras pessoas fazem com que adolescentes se sintam insatisfeitos com sua própria aparência? Veja aqui como ajudar seus filhos a evitar os perigos da obsessão corporal na era das mídias sociais

O impacto das mídias sociais na imagem corporal

Um estudo conduzido pela Universidade Estadual da Flórida e publicado no International Journal of Eating Disorders (Resenha Internacional de Distúrbios Alimentares) descobriu que um grupo de mulheres que passou 20 minutos navegando pelo Facebook indicou sentir maior instatisfação com seus corpos do que as mulhers que passaram 20 minutos fazendo uma pesquisa na internet sobre felinos que vivem em florestas tropicais.

Claire Mysko, autora vencedora de prêmios e especialista em imagem corporal, liderança e alfabetização midiática, explica que: "Apesar de as mídias sociais em si não causarem baixa autoestima, elas possuem todos os elementos necessários para contribuir com esse efeito. As mídias sociais criam um ambiente no qual pensamentos e comportamentos desordenados podem prosperar"

Para adolescentes com tendência ao perfeccionismo, a ansiedade e a distúrbios alimentares, as imagens (que normalmente foram digitalmente alteradas) de meninas e mulheres magras que vêem na internet pode fazer com que elas igualem magreza com felicidade. A validação de suas próprias fotos por outros usuários das mídias sociais ('você está linda!', 'você emagreceu?') podem errôneamente preencher sua necessidade de aceitação, distorcendo mais ainda sua imagem corporal.

Mysko alerta que, apesar de as mídias sociais darem aos jovens, principalmente garotas, o feedback e validação pelos quais anseiam, elas podem também "servir como um catalisador para uma insegurança maior ainda".

Como os pais podem ajudar com os problemas de imagem corporal dos jovens

É importante que os pais entendam e internalizem como as mídias sociais afetam os jovens, uma vez que esse é o meio de comunicação aceito entre os jovens de hoje (Veja: Por que as mídias sociais são tão importantes para os jovens).

Johanna Kandel, fundadora da The Alliance for Eating Disorders Awareness (Aliança pela Conscientização sobre Distúrbios Alimentares) ressalta a importância de se ter conversas de mão dupla com seus filhos sobre o uso das mídias sociais. "Ter esse tipo de conversa é uma oportunidade para ensinar seus filhos sobre como eles podem construir sua autoestima de dentro para fora," diz ela.

Seu conselho é que você não deve julgar seus filhos. Ao invés disso, pergunte a eles sobre o impacto que as mídias sociais têm sobre eles. Como eles se sentem quando alguém diz que gostou da sua foto? Por que eles acham que é importante se manter conectada com seus amigos na internet? Quantas vezes por dia eles se comparam com outras pessoas? Eles já se sentiram pior sobre si mesmos depois de navegar pelas mídias sociais? Esse tipo de consciência empoderada pode ajudar jovens a tomarem melhores decisões.

Leia mais sobre como as mídias sociais afetam os jovens no artigo Como as mídias sociais afetam os adolescentes?

O impacto das mídias sociais sobre adolescentes não precisa ser necessariamente negativo. Johanna Kandel reconhece os problemas das mídias sociais, mas acredita também que elas podem ser positivas e servir para inspirar os jovens. "Você pode ajudar seus filhos a cultivar essa perspectiva também, ao incentivá-los a postar frases de inspiração ou mensagens positivas," ela sugere. "Isso será empoderador não apenas para eles, como também pode ajudar a inspirar suas amigas e amigos."

Autora: Jess Weiner, Especialista Global em Autoestima de Dove

  • 1.

    Lembre seus filhos de que eles são mais do que sua aparência

    Fale sempre para eles o que você valoriza neles. Isso pode parecer simples e gerar olhares tortos, mas pode ajudar bastante a contrabalançar a enxurrada sem fim de imagens perfeitas dirigidas à seus filhos.

  • 2.

    Fale sobre as coisas que o corpo dela pode FAZER

    Nós mulheres temos a tendência de falar sobre o que há de errado com nossos corpos. Ao invés disso, pergunte a sua filha o que o corpo dela fez bem essa semana. Foi uma corrida, uma aula de dança ou tocar um instrumento? Ajude-a a ver que seu corpo é fantástico, independentemente da sua aparência

  • 3.

    Comece a alfabetização midiática dos seus filhos 

    É muito difícil se manter imune perante a perfeição retratada em propagandas e na mídia. Assista ao vídeo Evolução Dove com a sua família. O vídeo mostra que o que você vê em uma foto é geralmente uma versão altamente retocada da realidade