Sua filha ou filho tem uma ideia distorcida de beleza por causa da influêndia da mídia?

Sua filha ou filho tem uma ideia distorcida de beleza por causa da influêndia da mídia?

Hoje em dia, as fotos que vemos na mídia são tão retocadas, que fica parecendo que a 'beleza' está ficando cada vez mais inatingível. Ajude sua filha ou filho a resistir à influência da mídia e ver o que há por trás dessas imagens.

A influência da mídia sobre os adolescentes

Você se preocupa que as expectativas de seus filhos com relação a sua aparência não são realistas? Não é de se surpreender. Uma pesquisa publicada pelo periódico Psychology Today (Psicologia Hoje), intitulada Propagandas por todos os lados: A corrida para se apoderar do seu cérebro (Ads Everywhere: The Race to Grab Your Brain) estima que os jovens de hoje são bombardeados por  5.000 mensagens publicitárias por dia. Essas mensagens são transmitidas não só por meio da televisão e revistas, como também por páginas de internet, mídias sociais, videoclipes, filmes e até mesmo aparelhos celulares.

A maneira como as pessoas são retratadas nessas propagandas, tanto em termos de linguagem como nas imagens, tem um impacto enorme sobre como nossos filhos se vêem e quem eles almejam ser.

A ligação entre as imagens de mulheres na mídia e a baixa autoestima em meninas

O reforço constante da mídia da mulher 'perfeita' tem impacto direto sobre a confiança corporal em meninas. A pesquisa Imagem Corporal (Body Image) revelou que folhear uma revista por apenas 60 minutos reduz a autoestima de mais de 80% das meninas.

Resultados publicados na Pesquisa de Comportamento das Meninas 2016 da Girlguiding mostram que 61% das meninas entrevistadas afirmam que quando mulheres são retratadas como 'objetos sexuais', meninas acabam se sentindo menos empoderadas.

Além disso, na enquete Tão Bela Quanto uma Imagem (Pretty as a Picture), conduzida pelo think tank britânico Credos, quase metade das jovens mulheres questionadas concordam com a seguinte afirmação 'ver propagandas com modelos magras faz com que eu me sinta envergonhada da minha aparência e tenha vontade de fazer uma dieta/perder peso'.

Em sua pesquisa Tão Bela Quanto uma Imagem (Pretty as a Picture), o think tank Credos pediu a jovens mulheres que comparassem quatro fotos diferentes que foram modificadas digitalmente para alterar o corpo de uma modelo. A maioria das entrevistadas (76%) preferiu a imagem natural ou a levemente retocada, ao invés daquelas que haviam sido drasticamente retocadas. O Relatório Global Dove de Beleza e Confiança de 2016 revelou que 7 em cada 10 mulheres (69%) e 6 em cada 10 meninas (65%) acreditam que a mídia e propagandas estabelecem padrões de beleza ilusórios que a maioria das mulheres jamais vai atingir.

Ao entender que as imagens veiculadas na mídia são frequentemente manipuladas e raramente representam fielmente a realidade, sua filha será capaz de distinguir entre a realidade e a ilusão propagada pela mídia, protegendo assim sua confiança corporal quando vir fotos de celebridades e modelos. Ajude-a a compreender que não vale a pena se comparar às imagens falsas e ilusórias que ela vê na mídia.

Use nossa lista de ações e ativididades divertidas para dar início a uma conversa com sua filha sobre o que ela acha de sua própria aparência.

*Alteramos os nomes das pessoas cujas histórias compartilhamos nestas páginas para proteger sua privacidade, mas todas as histórias são verídicas.

  • 1

    Mantenha um olhar crítico com relação a mídia

    Ajude sua filha a ver por trás da cortina da mídia. Exerça o olhar crítico que você quer que ela desenvolva. Elenquem juntas os motivos pelos quais não vale a pena ficar se comparando a 'ideais' impossíveis. 

  • 2

    Faça uso do humor para reaver o controle

    Assistam juntas aos programas de televisão favoritos dela e olhem as revistas que ela lê. Conversem sobre as imagems que parecem pouco realistas ou que promovem um padrão restrito de beleza. Divirtam-se com as imagens que são obviamente muito falsas ou passam mensagens que são muito críticas com relação à aparência de alguém

  • 3

    Lembre-se que os retoques vão além de apagar marcas

    É sempre bom você e sua filha lembrarem que os retoques não se concentram apenas em apagar marcas. Pernas são esticadas, seios são aumentados, corpos inteiros são trocados e rostos ficam mais angulares. Normalmente, tanta coisa é mudada que é quase impossível reconhecer as modelos na vida real

  • 4

    Entenda como funciona a manipulação de imagens

    Descubra o que sua filha sabe sobre a manipulação de imagens: pergunte a ela quem mais pode estar envolvido na criação desses "visuais", desde estilistas a maquiadores e fotógrafos. Ela já viu o vídeo Evolução Dove?

  • 6

    Ofereça exemplos positivos

    Encontre e envie para sua filha fontes positivas de conteúdo, que foquem na força e nas habilidades das mulheres e não só em suas aparências

  • 7

    Faça o experimento de imagem Corporal do Credos

    Mostre à sua filha as quatro imagens da mesma modelo usadas no relatório Tão Bela Quanto uma Imagem (Pretty as a Picture) do Credos (vá para as páginas 12 e 13) e pergunte a ela do que ela gosta ou não em cada uma das fotos. Quais palavras ela usaria para descrever cada uma das imagens?

Próximos passos

  • Envie esta atividade para sua filha. É uma maneira divertida e interativa de ajudá-la a explorar diferentes ideias sobre beleza e como ela se sente com relação a sua aparência.
  • Continue a conversar com sua filha sobre padrões de beleza. Você não pode proibí-la de assistir televisão ou ler revistas e blogs, mas você pode (e deve!) tocar nesse assunto regularmente.
  • Incentive sua filha a abordar esse assunto com seus amigos ou em um projeto escolar
  • Dê a ela a sugestão de escrever para o editor da sua revista ou página de internet favorita para perguntar como eles manipulam as imagens de mulheres que são publicadas em seus veículos