Adolescentes e amizades: meninas falam da importância dos seus grupos de amigos

 

Adolescentes e amizades: meninas falam da importância dos seus grupos de amigos

O que se passa entre sua filha e suas amigas? Quais são os assuntos que elas discutem por mensagem de texto? Para entender melhor essa relação, conversamos com meninas do mundo todo para saber o que é importante para elas e seus amigos.

O que meninas dizem sobre o que suas amizades representam

"Minhas amigas são muito, muito importantes para mim. Na verdade, não consigo imaginar minha vida sem elas, elas são minha linha vital: elas são uma parte enorme de todos os meus dias. Por que eles são tão importantes? Bom, eu acho que é porque eu sei que posso sempre contar com elas para me animar. Elas estão sempre ao meu lado e são muito divertidas.

"Nós conversamos sobre todo tipo de coisa, o tempo todo. Falamos sobre a escola e os professores e sobre coisas engraçacadas que estão acontecendo em nossas vidas. Hoje em dia conversamos mais sobre garotos. Eu gosto de um menino e minha mãe sabe que eu gosto de 'alguém', mas minhas amigas sabem quem ele é."
Eleanor, 13, EUA*

"Até mais ou menos os 10 anos, eu tinha muitos amigos, mas eles não eram o centro da minha vida. Depois, quando eu fui para o ensino médio, elas passaram a ser as pessoas das quais eu me sinto mais próxima. Quer dizer, ainda sou muito próxima da minha mãe e eu correria para ela se tivesse um problema muito grande, mas para todas as outras coisas normais de rotina, eu converso com as minhas amigas.

"Meus pais são muito ocupados e quando eu conto para eles que tenho uma prova na escola, isso não significa para eles o que significa para minhas amigas. Minha mãe diz coisas como "Bom, se esforce" se eu digo que não estudei bastante. Mas minhas amigas vão entender como a preocupação está me consumindo e que provavelmente eu estudei um monte, mas ainda assim tenho medo de não ser suficiente. Acho que minhas amigas estão passando pelas mesmas coisas que eu e é por isso que elas são tão importantes."
Jessie, 14, México

"Eu tenho cinco melhores amigas: três delas estudaram comigo no ensino fundamental e duas eu conheci quando fui para o ensino médio. Elas são as pessoas das quais eu sou mais próxima, depois dos meus pais. Minha única irmã tem 24 anos, então ela é muito mais velha que eu e tem uma vida muito diferente da minha. Minhas amigas são mais como minhas irmãs e, na maior parte do tempo, elas estão na minha casa ou eu estou na casa de uma delas. Geralmente dormimos umas nas casas das outras nos finais de semana.

"Meus pais praticamente consideram minhas amigas como outras filhas e eu também me sinto como outra filha na casa dos meus amigos. É uma coisa muito especial e eu não acho que os meninos que eu conheço têm laços como esses com seus amigos.

"Nós conversamos sobre todo tipo de coisa, mas principalmente sobre o que acontece em casa, sobre os famosos dos quais gostamos, das bandas que escutamos. É tudo lindo até o momento que acontece uma briga e daí - BOOM! Eu fico muito triste. Eu não consigo nem pensar nos trabalhos da escola enquanto a gente não tiver resolvido tudo."
Isabella, 14, Brasil

"Quando você vai para o ensino médio, é hora de encontrar seu grupo, aquelas meninas com as quais você se identifica e com quem você se sente completamente confortável. A primeira coisa que eu faço quando chego na escola de manhã é procurar minhas amigas. Nós somos em cinco, duas de nós estudamos juntas em uma escola primária e as outras três em outra escola. Eu converso com meninas de outros grupos e nós não estamos em guerra com elas nem nada do tipo, mas eu sempre prefiro passar meu tempo com minhas amigas mais próximas.

"Nós gostamos de sempre usar roupas parecidas. Todas as manhãs, quando estamos nos aprontando para a escola, uma de nós manda uma mensagem para as outras dizendo 'hoje eu vou de shorts' ou 'acho que vou colocar uma calça'. Dessa forma, nós todas vamos para a escola vestindo a mesma coisa."
Evie, 13, Austrália

"Cada uma das meninas do nosso grupo tem uma função diferente: eu sou a pessoa que mantém a paz, então as outras vêm conversar comigo se aconteceu uma briga. Outra menina é a engraçada, outra a inteligente. Se alguém deixa de fazer parte do seu grupo, é preciso encontrar outra pessoa para assumir essa função. Senão as pessoas começam a mudar, porque é sempre necessário ter alguém que seja engraçada ou que consegue resolver as brigas."
Issy, 11, Reino Unido

Por que as amigas são tão importantes na vida das adolescentes?

O que percebemos em todas as conversas que tivemos com adolescentes é que suas amizades são essenciais. Nessa idade, elas geralmente formam laços estreitos com três, quatro ou cinco meninas, ao mesmo tempo que vários outros grupos estão se formando ao seu redor.

Famílias e pais ainda são importantes, mas suas amigas são as pessoas com as quais elas compartilham suas experiências diárias.

E isso não é apenas uma fase; é uma necessidade fisiológica. As mudanças hormonais pelas quais elas estão passando estimulam suas habilidades sociais, fazendo com que elas passem a 'precisar' da segurança da amizade com outras meninas.

Manter essas amizades é fundamental para a percepção que adolescentes têm de si mesmas e quanto sucesso acham que tem.

É importante que os pais não menosprezem o relacionamento de suas filhas com suas amigas. Nunca diga que o tempo que ela passa junto com as amigas não é importante, nem reclame de quanto tempo elas passam juntas ou de como elas continuam se falando frequentemente mesmo quando não estão juntas.

Talvez seja necessário chamar atenção da sua filha em determinadas situações (por exemplo, se ela estiver mandando mensagens de texto durante uma refeição em família). Porém, você tem que estar ciente de que estar conectada às suas amigas é de suma importância em sua vida.

Alteramos os nomes das pessoas cujas histórias compartilhamos nestas páginas para proteger sua privacidade, mas todas as histórias são verídicas.

Meninas e suas amizades: o que dizem os especialistas

A psicóloga Dra. JoAnn Deak, que já escreveu muito sobre meninas e seu desenvolvimento, diz que, apesar de os pais acharem que o relacionamento de suas filhas com suas amigas adolescentes pode chegar a ser 'um pouco demais', suas filhas acham que é 'a coisa mais importante'. 

Alguns especialistas classificam grupos de amigas meninas como "panelinhas" ou "tribos", mas a Dra. Deak considera essa fase como o "estágio da borboleta molhada". Até esse estágio, as meninas estão protegidas pelo casulo do seu relacionamento com seus pais. Porém, com a chegada da adolescência, elas de repente se encontram fora desse casulo. É um momento de muita empolgação, mas também de medo e incerteza.

Segundo a Dra. JoAnn, durante essa fase, meninas têm asas que ainda estão molhadas e são frágeis. Portanto, para se proteger, elas se cercam de outras 'borboletas molhadas'. "Elas se juntam em grupos e precisam agir de maneira similar, falar de maneira similar e ter uma aparência similar, pois isso lhes confere uma camuflagem protetora," segundo ela.

Nossa especialista Dra. Tara Cousineau diz que "A natureza das meninas pressupõe se relacionar com os outros. Elas lidam com estresse usando uma estratégia conhecida como "cuidar e fazer amizade". É uma estratégia de sobrevivência, especialmente para mulheres, que se soma ao instinto natural de "brigar ou fugir" que todo ser humano possui. Essa é uma outra perspectiva por meio da qual podemos analisar as 'panelinhas' de meninas. Para muitas meninas, ser aceita por um grupo é uma maneira de proteger sua autoestima, especialmente na época vulnerável do início da adolescência."

Próximos passos

  • Nunca trate os problemas de amizade da sua filha com descaso. Para ela, eles são de extrema importância. Respeite isso.
  • Escute atentamente quando sua filha quiser conversar com você sobre suas preocupações com relação às suas amizades e relacionamentos. Faça perguntas que requerem uma resposta além de 'sim' e 'não', para que você consiga fazer com que ela expresse como realmente se sente. Não resolva por ela o que fazer, mas ajude-a a decidir por si mesma
  • Sua filha pode achar que o tempo passado em família não importa mais, mas você sabe que importa sim, então sempre reserve tempo para vocês todos ficarem juntos. Procure escolher atividades ou coisas que vocês gostam de fazer em família e equilibre esses momentos com tempo livre para sua filha passar com as amigas.
  • Envie para sua filha o vídeo Amizades Sadias: como amigas podem ajudar a incentivar a beleza interna de uma menina e dê início a uma conversa com ela sobre como pode ser mais fácil para ela levar em consideração os argumentos positivos de uma amiga, ao invés dos seus próprios. Ela observa a ocorrência desse tipo de dinâmica no seu grupo de amigas?